Criação: DEMO
Co-produção: DEMO, Academia de Música e Bailado de Guimarães
Encenação:  Cheila Pereira, Cláudio Vidal, Paula Rita Lourenço
Interpretação: Beatriz Gonçalves, Constança Gonçalves, Luísa Martins, Mafalda Silva, Márcia Ribeiro,
Margarida Carneiro, Maria Inês Natal, Maria João Costa, Sofia Freitas e Matilde Lopes
Desenho de Luz: Nuno Patinho
Música:  Cláudio Vidal, Elite Athlete , Floating Machine
Figurinos: Margarida Cabral
Apoio: A Oficina, Casa da Juventude de Guimarães, Cineclube de Guimarães, CITAC e TEUC

Neste espectáculo os adultos não entram em palco. Ficam do lado de fora, são público. O elenco é composto por 10 raparigas entre os 8 e os 17 anos. Portanto, trata-se de um espectáculo interpretado por crianças/adolescentes para uma audiência de adultos.

É um espectáculo onde a linha entre a ficção e a realidade vai orientando um esqueleto dramatúgico que se compõe entre a arte da performance, o teatro e a dança. Os textos foram criados a partir de material autobiográfico das intérpretes e sobre o estado actual da nossa sociedade.

A realidade delas é, ao mesmo tempo, a nossa. Afinal, partilhamos o mesmo mundo. Um mundo em constante mutação, um mundo do aqui e agora, onde a informação flui em instantes e temos acesso ás notícias globais à distância de um click. Um mundo pautado pelo fantasma de uma crise económica e onde existem pessoas más. Um mundo que é igualmente belo e a vida um milagre em si. É assim que no meio de tantas partilhas, likes e comentários, telefonemas e mensagens que, em 2014, se continua a ser na sua essência uma criança, uma adolescente, com uma identidade própria trilhando o seu caminho, opinando sobre o mundo e vivendo entre as regras dos adultos e a liberdade de ser jovem.

aaaaaaaaaaaaiii