Co- Produção: DEMO e CITAC
Criação colectiva com Direcção: Andrés Bezares
Interpretação: Andrés Bezares, Cláudio Vidal, Gil Mac, Margarida Cabral, Ricardo Seiça

El Metodo é um processo de metamorfose em que personagens anónimas do espaço global assumem a espectacularidade dos super-heróis. Esta metamor-fose só é possível com a fundação do colectivo, a formação de um “quarteto fantástico”, num workshop intensivo de descoberta dos super-poderes de cada um. Só com a orientação de um guia e mestre espiritual – Mestre Diego Matamouros – se torna possível este rito de passagem.

O espectáculo entra em diálogo com o mundo da performance art, dos seus subtextos e limites, parodiando que só uma revolução na arte poderá induzir uma revolução na vida.

Dando continuidade ao trabalho de clown, a comédia escatológica e o severo trabalho do actor artaudiano, as influências do absurdo acentuam-se.
Debaixo da orientação de Matamouros, o processo de descoberta das personae de super-heróis implica um rigoroso método de pesquisa que mistura auto-flagelação psicológica, a psicanálise, a preparação do actor segundo Tadashi Suzuki, e ainda o sado-masoquismo. Indo à origem, cada herói descobre a sua identidade e, em conjunto, a sua filiação. No espaço laboratorial, um a um, estes artistas vão encontrando a sua especial força.

A performance incorpora remakes de artistas da performance art, numa altura em que a violência é o subtexto geral para a criação performativa, desde Chris Burden à violência visceral de Antonin Artaud.

aaaaaaaaaaaaiii