Nuno Patinho (n. 1965, Lisboa, Portugal): Desenhador e técnico de luz, fotógrafo e videasta, desde 1992. Tem o Curso de Cinema e Audiovisual do ISCEM/IFP (Instituto Superior de Comunicação Empresarial / Instituto Franco-Português) sob a direcção do cineasta Lauro António, em 1992. Teve formação em Desenho da Galeria Monumental, sob a orientação do artista plástico Manuel San Payo, em 1989; e Fotografia da Maumaus - Centro de Contaminação Visual - sob a orientação de Álvaro Rosendo, Jürgen Bock e Roger Meintjes, entre 1992 e 1994.

Recentemente, tem assinado a luz para os grupos de teatro: Centro de Iniciação Teatral Esther de Carvalho de Montemor-o-Velho; Cooperativa Bonifrates; Cena Lusófona; CITAC de Coimbra; Projecto Ruínas de Montemor-o-Novo; DEMO; bem como para criações dos coreógrafos Francisco Camacho, Rafael Alvarez, David Marques e Mariana Tengner Barros (Produtora EIRA de Lisboa). Foi responsável pela realização de trailers e vídeos integrados em espectáculos de teatro d’  A Escola da Noite, Associação Cultural Arte À Parte, Cooperativa Bonifrates, Encerrado para Obras, GEFAC e projecto BUH!. Foi director de fotografia e montagem na curta-metragem Posta em Sossego, com realização de Monique Rutler, em 1994. Foi monitor, operador de câmara e montagem do IFP para o Curso de Formação de Actores para Teatro e Cinema, em 1993 e 1994 e assistente de realização e argumentista da curta-metragem em vídeo Encontro com o Destino, com realização de Gonçalo Riscado, em 1992.

Desde 1997, dirige ateliês de fotografia. Foi director de fotografia na revista Enviado Especial, monitor do ateliê de fotografia do C.E.F./A.A.C. (Centro de Estudos de Fotografia/ Associação Académica de Coimbra), orientado por Luís Palma, em 1997, e colaborador no Núcleo de Arte Fotográfica da Associação de Estudantes do Instituto Superior Técnico (AEIST), entre 1990 e 1992. Foi responsável pelas seguintes coberturas fotográficas: entre 2001 e 2005, no Teatro Académico de Gil Vicente em Coimbra; no ano 2002, na V Estação da Cena Lusófona/Festival Gravana de S. Tomé e Príncipe; e entre 2003 e 2007, no Festival CITEMOR de Montemor-o-Velho. Desde 1994, expõe em vídeo e fotografia.

aaaaaaaaaaaaiii